A minha foto
Às vezes a imaginação falha, o sorriso esconde-se, as ideias ficam com ressaca e a vontade esgota-se. Depois, é preciso deixar que o pensamento esboce a dureza das palavras expostas. É ser sem parecer, e escrever mesmo sem crer.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

310. Opinião

Tenho andado sempre dentro do ninho.
Sou a prova de um Mundo a duas velocidades...a que não nos deixa parar e desistir e a que nos faz enfrentar e acreditar. Tenho doses de boa disposição no corpo e na mente. Tenho tempo, muito tempo ainda.
Sou uma espécie de edição limitada, um núcleo de coragem com excesso de confiança... Às vezes, nem sei fazer as coisas, chego tarde... mas sou para sempre!
Tenho prioridades, tenho sonhos e ambições.
Quem me conhece tem a obrigação de saber sempre um bocadinho mais do que eu de mim, procuro o perigo, algo estável, sou intolerante à frustração e ao medo.
Tenho um anjo que me protege, que me guia e que me ajuda. Tenho uma amiga, mais do que irmã - que sempre me diz para não dar tanto aos outros.
Dedico-me demasiado, sei "vencer" sozinha e não preciso de bate papos para ser alguém. 
Há quem me leve demasiado ao pé da letra, há quem me julgue pelo que não conhece e há quem me odeie sem razão. 
Para alguns estou no topo, para outros sou o topo e para alguns já desci. 
Sou diferente por diversas razões... todas as noite durmo no céu, voou de sonho em sonho e planto boas vibrações. Ressuscito todas as manhãs, passo dias ainda a sonhar e noites a reflectir.
Muitas vezes preciso que cuidem de mim, que me abram as portas dos bastidores e que me guiem até ao palco. Antes de querer ser feliz com alguém, aprendi a ser feliz comigo sozinha, quanto menos me importo mais feliz sou e aprendi que ser simples é ser incrível. 
O impossível é uma questão de opinião


Telma Palma

sábado, 22 de dezembro de 2012

309.

(...)
Os "intervalos" eram feitos a partir da uma. Era dada atenção à entrada e saída das pessoas. Nós, não estávamos autorizados a sair fora de horas muito menos durante a noite. Já eu, no segundo dia de passagem... teimava em não dormir e vir ver a multidão para a janela, no lado de fora do local autorizado.
Havia muitas pessoas, de branco e azul.
Fiz muitos amigos e amigas e lembro-me de pedir para não saírem de perto de mim.
Tinha medo de estar ali. 
Quando a noite chegava e a mãe se ia embora, eu sentia-me só. Lembro-me de pedir várias coca colas e de comer uma tablet da milka em menos de 10 minutos.
Tinha os sonos trocados, tinha uma dose de  adrenalina duplicada ou até triplicada. Não podia ouvir música - podia escrever.
Dormir era impossível, não só por mim mas também pelo ruído que se fazia ouvir ao fundo do corredor e dentro do quatro.
(...)
Quando a mãe saía... as minhas grandes mulheres do meu quarto quase que uivavam de desespero, de dor e de alguma ansiedade. A D.******, era de olhão, gritava toda a noite, ofendia a menina da bata branca e por fim, dava-lhe concelhos sobre a vida... eu ria- limitava-me a ouvir todas as histórias, à espera que amanhece-se novamente.
(...)
Quando a sentia chegar perto - de mim, claro- fingia dormir profundamente. Por breves momentos conseguia calar a sua sede de invadir-me e deixava que pairasse no ar uma profunda paz. Quando voltava para a breve visita lá me espetava com a seringa na barriga - depois, depois eu chorava.


(...) Continua...

Telma Palma


domingo, 16 de dezembro de 2012

308.

De quem é a culpa?
Não existem culpados, existem pessoas que não se conhecem, que nunca se viram e olharam ou que somente passaram por nós numa esquina.
Conquista.
Conquista dia-após-dia, faz o jogo da cintura para manter a atenção do olhar dele(a). 
Não mintas, tudo isso atrapalha... o mais simples pode tornar-se na gota de água. Mentiras nunca dão certo.
Podes ser grosseiro(a), mas terás que saber dar argumentos, expor e impor a tua posição, opinião e conceito. 
Sabes, as pessoas gostam da distância, têm medo de dividir o seu espaço e mesmo afastadas, vivem dias de angustia, sofrimento... porém mantém-se afastadas contentando-se somente com o sonho e com o que poderia ter sido. As pessoas não lutam e deixam que os seus medos imperem. 
Ser egoísta é a prova de morte. 
Não podemos reinar sozinhos no Mundo!
Falar de relacionamentos nunca foi o meu forte, mas este exige boa vontade de ambas as partes, aceitar os erros e acertos, tentativas, conquistar a cada dia, pensar em ambos... faz parte do bom relacionamento entre dois organismos, entre duas fontes primárias. 



"Segura a cintura dela, puxa-a para o teu colo, tira fotos com ela, marca sair com ela e com os teus amigos juntos, ri-te com ela mesmo que nao tenha graça, discute com ela quem ama mais, abraça-a por tras, diz-lhe o quanto ela é linda e o quanto amas o sorriso perfeito que ela tem, beija-a na frente de raparigas que tu conheças, manda-lhe mensagens á noite a dizer que sentiste falta dela, diz-lhe que é a unica que faz o teu coraçao bater mais depressa e mais devagar ao mesmo tempo "


Telma Palma

sábado, 15 de dezembro de 2012

307. Relações


Tal como as escolhas, as relações são feitas de opções, preferências e gostos próprios. São produto vivo, matéria viva e para que tal aconteça são necessárias pelos menos dois.
Eu, tal como a maioria do senso cumum, sonho e tenhos estados bem defenidos de como para mim tudo funciona ou deveria funcionar.  
Ao criar uma relação, seja ela qual for, opto por seleccionar o que acho importante ter em conta, o que realmente deve ser sentido e vivido e de como as coisas deveriam ser sentidas.
Todos temos defeitos, muitos vivem ansiosos e ficam irritados vezes e vezes sem conta, mas não se esquecem de si nem do que o outro pode sentir.
Funciona comigo uma das maiores empressas do Mundo, Comigo e com todas as pessoas que sabem sentir e por vezes não posso evitar que com certas atitudes e pessoas ela não vá à falência.
Ser feliz é não só reconhecer que vale apena viver mas também ver como o outro é feliz com a nossa existência.
Apesar de tudo, de tantas discuções, maus entendimentos e zangas quem nem lembram o arco da velha... ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e tornar-se autor da sua própria história.   
Ao contrário das tais relações, eu sei falar de mim prórpia em voz alta, sou capaz de encontrar um oásis no fundo da minha alma e tenho coragem para saber quando devo parar. Chama-se segurança para ouvir e aceitar críticas. 
Com o tempo, aprendemos que errar é humano, que todos nós erramos e que às vezes mesmo certos temos que baixar a cabeça e saber pedir desculpa, perdoar e ajudar. É preciso saber ouvir o que as outras pessoas têm para nos dizer.
Mas, não querendo fugir ao tema, a relação de que vos falo deveria ter dois palmos de testa, mudar, crescer - não pelos outros mas por si mesma.
Educar para crescer!
Sempre gostaste de me queimar os bigodes, de me fazer trinta por uma linha e por tentar impor a tua posição mesmo quando não a devias... mas sabes, o meu conselho é foca-te naquilo que realmente é importante porque da minha vida trato eu e a tua deves tratá-la tu. 


Telma Palma

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

306. Ser simples é ser incrível

"Naquela noite,enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: "Tenho algo importante para te dizer". Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos.

De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente.
Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: "Porquê?" Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou "você não é homem!" Naquela noite, nós não conversamos mais. Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane. Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela.
Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa.
Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente. Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora.
No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane.
Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa, escrevendo. Eu a ignorei e volteia dormir.
Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possível. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus exames no próximo mês e precisava de um ambiente propício para preparar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais.
Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca mas aceitei sua proposta para não tornar meus próximos dias ainda mais intoleráveis.
Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. "Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio", disse Jane em tom de gozação.
Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então quando eu a carreguei para fora da casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo "O papai está carregando a mamãe no colo!" Suas palavras me causaram constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. Ela fechou os olhos e disse baixinho "Não conte para o nosso filho sobre o divórcio" Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório.
No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito,eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha
envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto, seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela.
Por uns segundos,cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado.
No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior como corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim.
No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei.
Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro, ela disse "Todos os meus vestidos estão grandes para mim". Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias.
A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso... ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração... Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos.
Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse "Pai, está na hora de você carregar a mamãe". Para ele, ver seu pai carregando sua mão todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos segundos. Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo.
Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento.
Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas.Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras:"Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo".
Eu não consegui dirigir para o trabalho... fui até o meu novo futuro endereço,saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia... Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela "Desculpe Jane. Eu não quero mais me divorciar".
Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa "Você está com febre?" Eu tirei sua mão da minha testa e repeti "Desculpe,Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe.
A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouví-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar.
Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: "Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe".
Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama, morta.
Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela. Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio - e prolongou a nossa vida juntos proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso.
Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, faça pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz!"

terça-feira, 30 de outubro de 2012

305.


Crónica do Amor


" Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. 

Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.
É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.
Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim.
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.
Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa. "


Arnaldo Jabor

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

304. Silêncio

Saudades - eu só as sinto quando qualquer momento se torna inesquecível, quando sei que esse tal momento ficou imortalizado no tempo e quando sinto que já não voltam mais - porque são únicos.
Saudades sinto-as todos os dias, todas as horas, minutos e segundos... sinto-as e desespero poder "matá-las" a casa instante.
Como poderei eu deseja-las sem as sentir por breves frações de segundo? Como poderei eu pensar que elas existem sem ter vivido tempos e tempos a senti-las como minhas?
Tecnicamente, a resolução mais fácil e clara seria viver tudo de novo... mas por onde começar? O que escolher como prioridade? Que momento é o mais desejado para ser (re)vivido? Para mim - todos.  
O tempo não pára. 
O tempo não move barreiras, não justifica a distância, não determina a qualidade e não prejudica os momentos. O tempo apenas faz-nos reflectir, coloca-nos a mão na consciência e faz-nos ver que a saudade é que faz parar o tempo. 
Sentir saudades é caminhar no tempo, é caminhar firme na terra, é transportar alegrias, tristezas, vontades, desejos... é viver sem esperar que tudo volte, mas sentindo que tudo aquilo deveria ser permanente.
A saudade é como sentir fome - só passa quando a saciamos. Mas, às vezes, ela é tão profunda que a presença torna-se pouco. 
Mas, na verdade, saudade é amar o passado que ainda nem passou, é recuar um, dois ou três presentes que nos magoam, é ver o futuro que nos convida. 
E, quando a sinto em pleno, é a minha alma gritando para onde quer voltar, para onde quer estar e sempre ficar.
Há dias que tudo aquilo que preciso é de um abraço, de silêncio... de um beijo na testa e de paz. É disso que sinto saudades - de ti. 


Telma Palma


domingo, 21 de outubro de 2012

303. Liberta-me

Há dias em que te sentes uma princesa, que reinas no teu próprio País das Maravilhas e que tudo o resto se transforma num conto de fadas. Por outro lado, há dias como os de hoje. Negros, cinzentos, escuros... que te penetram na pele e que te fazem querer ficar de baixo dos lençóis todo o dia.
Existem ainda outros que te levam a ser a Cruela de Vil, que te sentes um patinho feio ou até um super herói. 
Hoje, especialmente hoje apenas me sinto como a Branca de Neve, perdida algures na floreste e bem perto de todo o conforto de um lar. Onde sinto segurança, onde distribuiu xi corações e onde não é preciso negar um abraço.
Há dias, como os de hoje, em que não me sinto em pleno mas que ao fim ao cabo à quem me saiba dar a volta e fazer o meu ego emergir ao seu estado mais puro e natural. 
Que na verdade, de natural tem muito pouco - nestes momentos.
Há dias em que falta um ponto de luz, um abrigo no deserto, uma mão delicada ou até um sorriso genuíno.
Há dias em que devia ouvir o vento - a tal voz secreta que sopra-me por dentro... e que no final faz-me encontrar o meu ponto de luz e que me conduz. 
Há dias em que deixo de ser fada e passo a ser anjo, há dias em que saiu da gruta e voou pelo céu - liberta-me a mente.  


Telma Palma


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

sábado, 29 de setembro de 2012

301. Todos os dias

Meu amor,

por mais que me arrume e me produza quando me aproximo de ti, sinto-me um "patinho feio" diante de um belo cisne grandioso e elegante.
A tua voz atenua-me a alma, os teus gestos aconchegam-me o ego e o teu bom humor faz-me sorrir e ficar cada vez mais feliz. 
Às vezes, por mais que tente concentrar-me nas tarefas, no trânsito, no teatro ou na escola, tu não me sais da cabeça... o teu cheiro, o teu sorriso, a tua boca, as tuas brincadeiras ou até mesmo o teu silêncio quando ficas com aquele olhar contemplativo.
Fascinas-me por qualquer ângulo que olhe, és um todo de Norte a Sul, de Leste a Oeste e, principalmente quando me abres o teu coração e a tua alma. Por tudo isto é que penso em ti vinte e quatro horas por dia - todos os dias! 
Durmo e acordo contigo no meu pensamento ou até mesmo ao meu lado - Todos os dias. 
Sabes o que sinto quando estou no teu colo? Quando me agarras e me dás muitos e muitos beijinhos? Quando me tocas, quando me fazes sorrir? - Sinto-me protegida, sinto-te a ti em pleno. Sinto que a primavera chega sempre mais cedo, que o sol fica mais intenso e os dias mais longos. Sinto o meu coração explodir de alegria e encher-se de amor. Sinto que a vida, a minha vida deixa de ser a preto e branco e passa a ganhar cor. 
E, já que te falo na primavera, já que ela chega sempre mais cedo, percebo então que o tempo contigo passa sempre rápido demais, que a vida é curta e que provavelmente o inverno está quase aí.
Mas tu, tu sempre estarás para qualquer estação.
Não sei como mas, de alguma forma tu transformaste-me em um ser humano mais válido e valioso, mais optimista. Tens o dom de me sufocar de sorrisos, de alimentar-me de beijinhos e de transformar em esperança o que poderia nunca ter passado de conversas, de cafés ou de esses.
Não é à toa que te adoro e que gosto de ti. Não é à toa que o meu pensamento dorme e acorda contigo em todos os momentos do dia, da tarde, da noite ou até de madrugada, mesmo estando fisicamente distante, o meu espírito está contigo - sempre. Fica com essa certeza. 
O tempo não se esgota xuxu, devemos reconhecer que o nosso esforço e a nossa dedicação não foram em vão, e que a recompensa pela nossa "luta" logo virá pra coroar todo o nosso empenho. 
Os frutos não serão demorados, logo aparecerão. E o mais importante já aconteceu - estar juntamente com o mesmo sentimento. 
E é isso que se vê no céu, na lua... o olhar refrescante dela, a brisa húmida e a sua beleza incondicional. 
E, já William Shakespeare dizia:

"Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim...
E ter paciência para que a vida faça o resto..."

Vou sempre fazer qualquer coisa para te manter perto e manter-me a mim também. Tropeço de ternura por ti, homem da minha vida, meu amor.

Telma Palma

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

300. Cicatrizes

Meu amor,

Por circunstâncias que escapam ao meu controle, estamos longe. Espero que esta despedida não signifique uma completa ausência definitiva, porque tenho a certeza de que o amor que eu sinto por ti não vai mudar de qualidade ou ficar fora de prazo mas sim, permanecer para sempre ardente e intenso como devem ser os amores verdadeiros.
É doloroso aceitar esta situação. Mas quero que saibas e que tenhas consciência de que nunca, em toda a minha vida, amei tanto alguém como eu te amo a ti e que nunca dediquei tanto carinho, dedicação e devoção a outrem. 
Qualquer processo de separação é totalmente devastador e amargo o que, acaba por deixar cicatrizes. O tempo nunca será suficiente para poder destruir tamanho sentimento em relação a ti, pois tu e só tu, estás e estarás para sempre no meu pensamento, aconteça o que acontecer.
Sabes, prefiro pensar que esta carta não é uma carta de despedida, porque desejo que esta te toque no coração como uma mensagem de esperança ou até como um até já. A esperança de que em breve estaremos juntos...
Não te esqueças do que juntos prometemos, do que juntos sonhamos e do que juntos vivemos... porque afinal de contas somos um - apenas um. 

Um beijinho de quem te ama muito e se sente muito triste em ter que pronunciar um adeus. 
Tropeço de ternura por ti,

Téémii
12.09.2012

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

299.


Normal? Normal é sermos Felizes. 


terça-feira, 25 de setembro de 2012

298.



Estar quieto e não fazer nada são coisas diferentes.


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

297.


Há que dizer-se das coisas
o somenos que elas são.
Se for um copo é um copo
se for um cão é um cão.
Mas quando o copo se parte
e quando o cão faz ão ão?
Então o copo é um caco
e um cão não passa dum cão.

Quatro cacos são um copo
quatro latidos um cão.
Mas se forem de vidraça
e logo foram janela?
Mas se forem de pirraça
e logo forem cadela?
E se o copo for rachado?
E se o cão não tiver dono?
Não é um copo é um gato
não é um cão é um chato
que nos interrompe o sono.

E se o chato não for chato
e apenas cão sem coleira?
E se o copo for de sopa?
Não é um copo é um prato
não é um cão é literato
que anda sem eira nem beira
e não ganha para a roupa.

E se o prato for de merda
e o literato de esquerda?
Parte-se o prato que é caco
mata-se o vate que é cão
e escreveremos então
parte prato sape gato
vai-te vate foge cão
Assim se chamam as coisas
pelos nomes que elas são.


O OBJECTOAry dos Santos

domingo, 16 de setembro de 2012

296.


"Enquanto não acontece, agente imagina." 

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

295.

Precisava que te sentasses ao meu lado como sempre fizeste, que encostasses a tua cabeça na minha perna e que me enxogasses as lágrimas.
Precisava que me ouvisses chorar como só tu o sabias fazer e que, sem uma palavra me fizesses sorrir. Mas, nem sempre as coisas são correctas, nem sempre surgem como queremos e nem sempre podemos segurá-las na nossa mão para sempre.
Pinhão?
Porque é que as coisas simples nunca são suficientes? Porque é que complicamos a vida? Porquê Pinhão, porquê?
Há sempre uma primeira vez para tudo. Para errar, para magoar, para discutir, para chorar... Há sempre uma primeira vez para bater com a cabeça e dizer "OK, já chega!", e só depois é que abrimos a pestana. Ou então não.
Mas Pinhão, por ti ia até ao fim do Mundo, batia lá no fundo e só depois é que chorava. Sim Pinhão, por ti eu chorava.
Mas sabes? Hoje, especialmente, precisava do teu colinho, do teu pelo fofinho, da tua presença física para me aconchegar o ego. Juro que hoje precisava.


Telma Palma

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

294.

É certo. A terra já te desfez, e no mesmo local não nasceu fruto da rosa que te deixei como prova do meu amor. 
Nasceu erva. Pura erva.
Nasceste ou renasceste tu. 
A tua ausência tornou-se insuportável. Já te disse que te vejo todos os dias, que acordo e olho para ti, que quando saiu à rua és tu que iluminas o meu Mundo?
Partiste cedo. Muito cedo até. 
Partiste e deixaste-me muito sozinha.
A cada dia que passa morro por dentro e, na verdade, confesso que parte de mim morreu contigo, naquele dia, àquela hora.

Amo-te, Pinhão.

Telma Palma

293.


"Só precisas de ter uma parte de coragem e três partes de loucura."


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

292.


"Se gostas de brincar com as pessoas... joga sims"


domingo, 2 de setembro de 2012

291. Sós

Pela manhã, quando pessoas normais acordam - pesam. E, assim o é desde sempre.
Já viste como é fácil ser simples e directa num abrir e fechar de olhos? Como é fácil dizer "espera só mais cinco minutos" e como podemos fechar de novo os olhos, vezes e vezes sem conta...
Sempre gostei das coisas simples, os detalhes conquistam-me. Mas, já reparam como o melhor do mundo está diante dos nossos olhos, dia após dia, e não o vemos?
Como deixamos de olhar primeiro para nós, à espera que o outro se designe a ver-nos primeiro?
As relações já não duram para sempre, todas têm um começo, meio e fim. Como tudo na vida.
De momento, é preciso entender qual o aspecto mais importante e investir nele.
Odeio quando ouço aquela conversa:
- "Acabei com ele...
- Então? Há quanto tempo estavam juntos?
- Dois anos, mas não deu certo, acabou.
- Não deu certo, porquê?
- Oh, Claro que deu! Deu durante dois anos, só que acabou.
(...)"
E já viram como é fácil e simples poder ter vários amores? Mas eu, acredito que "se estamos bem, não devemos por-nos mal".
Eu não acredito em pessoas que se completam, acredito em pessoas que se somam. Se não sabemos lidar connosco a 100%, como é que podemos querer que o outro seja a 100% connosco?
Não é preciso fazer contas.
Assumam.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom em sexo.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é responsável.
Às vezes ela é teimosa, mas é sensível!
E continuamos a não ter tudo, a não ser tudo, a não chegar a tudo. E aí está... investe no aspecto mais importante.
Acho que o beijo é o mais importante. E se o beijo bater... joga-te a mais um e outro. Se não bater... pede uma Vodka e vai dar uma volta.
Se ele ou ela não quer mais, vai dar uma volta.
Se tens dúvidas, se tens medos, se não sabes para onde ir e o que fazer... esquece-se tudo e vai dar uma volta. 
Não lutes, não ligues,  não assumas a responsabilidade e não te humilhes. Deixa ir, deixa andar... porque se ele(a) tiver que voltar, volta simplesmente.
Há quem necessite de ausência para poder desejar a presença. O ser humano não é absoluto.
Não faças dramas.
Nascemos sós, morremos sós, pensamos sós, vivemos sós...
E quando acordamos, a primeira impressão é sempre nossa, o olhar, o pensamento, a memória...
Há quem mude de romance e que pule de um para o outro constantemente. Não será apenas medo de nos vermos sós? 
Gostar dói. Dói tanto que chega até a ferir-nos a alma.
Às vezes sentimos raiva, ciúmes, ódio, frustração, desgosto, medo... mas esquecemo-nos que tudo isso faz parte. 
Ao gostarmos de outra pessoa, gostamos de um outro ser, um outro Mundo e um outro universo... e nem sempre as coisas são como queremos. 
É preciso dar espaço.
Não somos terapeutas, não temos que saber lidar com a dor e querer curá-la de um dia para o outro. É preciso correr o risco e saber até onde nos podem magoar, até onde podemos ser magoados. 
Nós, para sermos felizes, para sermos únicos... não necessitamos de provar a todo o instante que estamos bem, que somos fortes e que não temos defeitos. 
Fraquejar não é pecar.
Gosto da humildade da fraqueza, dos pontos fracos, do lado genuíno que mostra para ser feliz e inteiro. 
Haja força, determinação e garra para assumi-la!
Há quem se ache tanto que se esquece de se encontrar. Memoriza que primeiro somos sós e só depois o outro. 

Telma Palma

terça-feira, 28 de agosto de 2012

290.


Amanhã é sempre tarde demais!


terça-feira, 21 de agosto de 2012

289.


" Sempre que envias uma sms, o meu coração pára só para te poder ouvir" 

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

288.


O meu conselho é "Não deixes ninguém te magoar" !


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

287. Histórias, tantas histórias

Há histórias que podem ser contadas em qualquer tempo, altura ou época. Histórias que são feitas de outras histórias e que ao fim ao cabo acabam por complementar outras.
Não precisamos de descreve-las na totalidade, de expressar o seu significado real ou até tentar impor a sua importância, desde que se dê a conhece-la na integra. 
Há quem escreva, quem se limite a ler ou até a fotografar. Eu, na minha vida, gosto de as avaliar, de as citar e de as relembrar quando assim merecem. 
Gosto das que nos realmente nos tocam, das que nos fazem sentir saudades e das que nos fazem parecer estar dentro de um paraíso.
Nos anos que correm, ninguém se lembra disso, da memória e dos momentos que nos passam pela pele, que nos fazem arrepiar e que por algum motivo fazem com que o estômago se encolha. Ninguém pára pensar no mal que faz ao outro nem se lembra de pedir desculpa.
Hoje em dia, o egocentrismo totaliza-nos de tal forma que esquecemo-nos de contar todas aquelas histórias, aventuras e descobertas que ao longo da vida fizemos, que criamos e que construímos. 
Traçamos metas, pontos de encontro e realizações pessoais, mas esquecemo-nos do passado e o quanto ele também contribuí-o para o nosso crescimento. Esquecemo-nos da coragem que registamos no peito resultando num intenso e emocionante significado. 
Levamos o tempo todo a ensaiar, mas não nos lembramos de recordar. Chegamos a ser medíocres e ingratos connosco mesmos, e somente quando nos vemos "sozinhos" reclamamos do que fomos, suplicando que tudo mude.
Já viram como damos valor a coisas simples, como nos chateados com pouco e como perdemos rápido a paciência com por exemplo com o trânsito, o cabelo que acordou todo torto, com o gel que caiu da unha ou até com a fila no supermercado? Devíamos dar especial atenção aos sentimentos, ao amor, ao Mundo, às pessoas. Não aos bens nem aos sarcasmos que a vida nos trás.
Se é que me faço entender. 
Histórias, tantas histórias. 


Telma Palma

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

286.

E a saga continua....



"Abres a boca só saí cucu, já caguei merdas mais importantes do que tu! " ^^



quarta-feira, 8 de agosto de 2012

285. BE YOU

A ironia é a expressão mais perfeita do pensamento. Pensas, falas e só depois é que brota no outro o verdadeiro significado das palavras expressadas.
É por ela que começa a liberdade, aquela em que se expõe tudo o que queremos através de citações um tanto mais agressivas do que parece.
Ela é sobretudo uma brincadeira vinda do espírito, do interior ou até do ego. O humor será apenas uma brincadeira vinda do coração, cheia de sensibilidade, carinho, ternura e conforto.
A vida é frágil, simples, e ironicamente os acontecimentos ampliam-se naturalmente na perspectiva de fazer crescer uma inteligência estreita e que apenas controlemos o inevitável. Aí está, a ironia surge sorridente e leve, sem saber se correr o risco de curar ou de ferir mais ainda os acontecimentos.
Ups.
Fere-nos muito até. Fere demais e volta a ferir.
Há três anos que te levo a dizer sempre o mesmo, ironicamente - confesso.
- O homem superior difere do homem inferior, e dos animais irmãos deste, pelas simples qualidade e simplicidade da ironia. Esta é o primeiro indício de que a consciência tornou-se consciente e que finalmente tomou ponto assente na história. 
Sabes à quanto tempo te repugno?
- Conhecer-se é errar, mas errar também é assumir e deixar de culpar os outros por aquilo que nos acontece, é deixar de tentar exercer e parecer o "bom da fita" e deixar transparecer o que realmente somos. Ao contrário de ti, não precisei de humilhar ninguém para me afirmar.
Calcula tu que, independentemente de tudo eu continuo a olhar para ti e ironicamente rir na tua cara.
Nem conheço coisa maior, que esta de falar contigo assim como falo com os meus botões, de poder pensar, achar e dizer tudo o que me apetece e ainda rir mais um bocadinho na tua cara.
Já viste como inconscientemente tenho sido paciente contigo e tenho deixado que me "pises" - isto é de anjo. 
Mas que verdade falsa tens vivido, que vida iludida que tens criado e copiado dos outros! E, na verdade, é isso que na vida me cansa, e quando cansa, quando cansa acredita que começa a irritar-te ainda mais como vejo ultimamente, o que na verdade me dá gozo. 
Sabes o que te falta? - Ser única.
Sabes o que nos torna únicos? - BE YOU!


Telma Palma 


segunda-feira, 30 de julho de 2012

284.



- Estás zangada com alguém?
- Não. Eu, quando alguém me faz algo que não gosto, simplesmente esqueço que a pessoa existe.



quinta-feira, 26 de julho de 2012

quarta-feira, 25 de julho de 2012

282.


Não te preocupes com o que eu sou, mas com o que eu faço!

segunda-feira, 16 de julho de 2012

281.

Eras um pedacinho do meu coração, metade da minha alma e o meu ponto de abrigo. Ainda me fazes palpitar o coração e sentir a tua falta mesmo quando estavas por perto. Tenho saudades tuas.



P.S: I love you

sexta-feira, 13 de julho de 2012

280. Anjo

Vejo tristeza, não sinto o vento ardente a bater-me da cara nem o sol a queimar-me as pestanas.
Não sinto o teu olhar a perseguir-me a cada passo que dou, nem sinto o teu cheiro na minha pele. 
Sinto muitas saudades tuas, até demais.
"Devias sentar-te na pedra dura da calçada, sentir o aumento da temperatura a entrar-te pela pele dentro. Devias sentir e exprimir as coisas tal como eu, devias sentir a melodia a penetrar-te o cérebro, a vibração das tuas próprias cordas vocais, devias tentar estar presente e ver como é linda a cor do céu. Tu sabe-lo, eu sei que sabes." - Conversas e confissões, desabafos e sorrisos que só tu sabes e que levaste contigo.
Devias estar são! 
Devias falar para além de ouvir, falar e dar-me conselhos, devias estar sempre comigo - para sempre. 
Nunca te bastou veres como estava mal, tinhas o objectivo de me animar e por-me a brincar e a fazer tudo contigo, eras único - confesso. 
Cuidei sempre de ti, sempre mais do que de mim.
Ajudei-te a levantar, dei-te comida e vi-te a chorar, a sofrer com as dores e a desejar partir o mais rápido possível.
Não esperas-te por mim.
Não esperaste que eu chegasse e que te visse partir.
Não esperaste que te ajudasse só mais uma vez e que fizesse com que fosses um bocadinho mais feliz por eu estar contigo.
Prometes-te que esperavas por mim e que não me deixavas sozinha. Eu sei que prometes-te vezes e vezes sem conta!
Cuidei sempre de ti, mais do que de mim. 
Repito vezes seguidas que, um anjo nunca morre e na verdade, tu continuas bem vivo dentro da minha memória.
Tropeço de ternura por ti, de amor, de cumplicidade, de amizade e de tudo o resto!

... Levei-te uma rosa branca, como um anjo que cuidará de ti na minha ausência, vi-te caíres lá para baixo e o Daddy viu como tu me preenchias o coração mais do que qualquer outra coisa. O Daddy também chorou, quando viu que eu virara a cara para o lado quando bateste lá em baixo, só pedia para que saísse dali e para parar de chorar. Não aguentei, senti um aperto no coração como se fosse rebentar, já ali eu sabia que era a última vez que te via e a última vez que podia realmente estar na tua presença.
O Daddy deixou cair a pá, enquanto eu no chão chorava por ter-te perdido para sempre, por saber que foste sem te despedir.
Doeu muito, dói muito e nunca deixará de doer. 


"Pinhão, um anjo nunca morre, um anjo viverá sempre no meu coração e o meu anjo sempre foste e sempre serás tu. Não imaginas a falta que já me fazes e o quanto sinto a tua falta. Deixaste-me o coração partido e um aperto no peito maior que o Mundo inteiro. Não sabes ler, muito menos entender as palavras que te escrevo, mas tu, anjinho da minha vida, homem da minha vida, melhor amigo, saberás sempre confortar-me a alma sempre que precise. Telma ♥"


R.I.P Pinhão 
12.07.2012

Telma Palma

terça-feira, 26 de junho de 2012

279. Horas

Momentaneamente, segurei-lhe a mão durante vários segundos e de repente, senti um aperto nos dedos e em toda a palma.
Senti que precisavas de falar, de ter alguém ao teu lado durante largas horas para poderes sentir a presença de alguém que realmente se importa contigo, e eu - eu deite isso e continuo a dar-te todos os dias.
Não tinha mais do que  uma semana de vos conhecer, uma semana de vos ouvir e de entender. É difícil não gostar de vocês e não sentir saudades do que ainda não acabou.
Vocês fazem-me rir, sonhar, acreditar e mais do que tudo ajudar.
Vocês e só vocês, têm-me ensinado todos os dias o quanto é importante dar-mos valor à vida, o quanto boa ela o é, e como vale sempre apena lutar por ela.
PARAR É MORRER! Parar é desistir, é deixar de acreditar e aí sim - morremos para vida. 


"A vida é como andar de bicicleta, para ter equilíbrio é preciso manter em movimento" - Albert Einstein 


Telma Palma

segunda-feira, 25 de junho de 2012

278. Depressa

Quando saíste, esqueceste-te de fechar e de trancar a porta. Mas ao contrário de ti eu fi-lo bem depressa.
Esqueceste-te do principio base, do que te ensinei quando pela primeira vez estiveste comigo e fizeste questão e eleger a força como ponto base para assegurar uma relação, que ao fim ao cabo nunca existiu.
Comigo isso não resulta, nunca resultou e não iria ser contigo - um triste - que iria resultar.
Ensinei-te a proteger, a gostar e a sentir o momento como se fosse o último mas, em vez de me ouvires e de me tentares entender forçaste-me a fazer tudo aquilo que contigo NUNCA quis!
Aprende e memoriza que acima de tudo precisas primeiro de gostar de ti e só depois dos outros, que o mais importante numa relação não és apenas tu mas os dois elementos principais.
Sabes porque é que as pessoas se casam? - Para fazerem o outro feliz!
Aprende a ouvir um não, a aceitar uma opinião, a repartir, a partilhar e acima de tudo aprende a ceder.
Memoriza que nunca começou e que não posso mais aceitar essas tuas mudanças repentinas de humor. Estou cansada de te ouvir, de receber mensagens tuas, das tuas típicas agressões físicas e psicológicas e de tentar excluir-te da minha vida e tu não entenderes isso, estou cansada de ti.
Entende que na vida há que fazer escolhas e que tu nunca fizeste parte de nenhuma das que fiz.
Por favor, não voltes nem venhas com histórias da Cinderela. Não sou a Princesa nem a Rainha com que sonhaste, sempre fui apenas e só aquela que maltrataste, humilhaste, lixaste e que nunca ajudas-te.

Telma Palma